No caminho de Emaús

Existem momentos na vida da gente em que as palavras perdem o sentido ou parecem inúteis e, por mais que a gente pense numa forma de empregá-las, elas parecem não servir. Então a gente não diz, apenas sente. Contudo, são estas, as palavras, que servirão como ferramenta para tratar de um assunto singular, vívido e, às vezes, confuso: os processos da vida.

Penso a vida como um grande espiral, onde os círculos simbolizam os diversos caminhos que percorremos. Desconhecidos. Resultando em um único processo – o nosso – aquele que é pertinente a cada um. São encontrados em nós, e em inúmeros contextos, também de diversas formas. É importante saber que cada processo objetiva um resultado. Sempre!

Há uma passagem Bíblica que trata exatamente disto, e se encontra narrada no capítulo 24 do evangelho de Lucas, nos versículos de 13 a 35.

Dois discípulos de Jesus percorriam o caminho que os levaria para uma aldeia em Emaús. A distância era grande. O assunto que permeava a saga dos dois era a respeito das últimas coisas sucedidas, uma vez que era o terceiro dia após a morte de Jesus. Em um determinado momento Jesus Cristo (Ressurreto!) se aproximou e ia com eles… Porém: “Os seus olhos, porém, estavam como que impedidos de o reconhecer.” (24:16)

emaus_duccio_di_buoninsegna

Era Jesus Cristo quem estava caminhando lado a lado com os discípulos, o mesmo que outrora também estava junto deles, o mesmo que lhes dirigira a grande pergunta: “Quem dizem que Eu Sou?”, entretanto, não os reconheceram. Os motivos que os impediram de reconhecê-lo podem ter sido diversos; talvez fossem tardios para viver pela fé, ou então estarem com seus corações amedrontados, entre outros.

A questão é que, durante os meus processos e minhas andanças acontece a mesma coisa! Penso que com você também. Torno-me tardio para crer e dessa forma o gozo existente na presença de Jesus Ressurreto é substituído pelo medo em Jesus Sacrificado! O caminhar que é para ser leve, por vezes, ainda é penoso. Que verdade constrangedora! Contudo, a Graça de Jesus, o Cristo, não desiste de nos conduzir a torná-lo descoberto e redescoberto em nós. Existe um meio pelo qual conseguimos reconhecê-lo perto, em nós, e isso está completamente relacionado com as experiências individuais que buscamos com Ele. Na passagem em questão, os discípulos o reconheceram no momento em que Jesus partiu o pão. Qual é a maneira pela qual Jesus é redescoberto por você?

Ele ressuscitou! Ele ainda está a partilhar da Sua vida para nós! Ele venceu! É necessário que a nossa fé esteja em Jesus Ressurreto, pois é Ele quem caminha ao nosso lado. Os mesmos movimentos da Graça que nos trouxeram até o presente processo, nos ajudarão ao longo de toda a nossa trajetória.

Deixe uma resposta