O Senhor é contigo!

O povo de Israel fez o que parecia mal aos olhos de Deus e por isso o Senhor lhes entregou nas mãos dos midianitas, e tudo o quanto os filhos de Israel faziam, trabalhavam e tinham estava sendo tomado pelos seus inimigos. Israel tornou-se uma terra pobre e então eles decidiram clamar por socorro a Deus.
Como dizem as escrituras abaixo o Anjo do Senhor apareceu a Gideão, escolhendo-o para livrar o povo de Israel, mas Gideão duvidou e questionou a Deus:

“Então o anjo do Senhor lhe apareceu, e lhe disse: O Senhor é contigo, homem valoroso. Mas Gideão lhe respondeu: Ai, Senhor meu, se o Senhor é conosco, por que tudo isto nos sobreveio? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o Senhor subir do Egito? Porém agora o Senhor nos desamparou, e nos deu nas mãos dos midianitas.” Juízes 6:12-13

Gideão não se sentia preparado e se achava inferior dentro de sua tribo, mas o Senhor achou graça e lhe encorajou, dizendo:

“Então o Senhor olhou para ele, e disse: Vai nesta tua força, e livrarás a Israel das mãos dos midianitas; porventura não te enviei eu?E ele lhe disse: Ai, Senhor meu, com que livrarei a Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em Manassés, e eu o menor na casa de meu pai.E o Senhor lhe disse: Porquanto eu hei de ser contigo, tu ferirás aos midianitas como se fossem um só homem.E ele disse: Se agora tenho achado graça aos teus olhos, dá-me um sinal de que és tu que falas comigo.” Juízes 6:14-17


Após a confirmação de Deus através de sinais Gideão teve certeza que era Deus quem lhe enviava e construiu um altar a Deus, junto com dez homens, de acordo com as ordens que o Senhor havia ordenado durante a noite. Muitos revoltaram-se com Gideão por ter destruído o altar de Baal e depois do Espírito do Senhor tomar a Gideão muitos se ajuntaram a ele nessa missão.

Quando estavam a caminho da guerra o Senhor disse a Gideão que o povo era muito grande para os midianitas e que seria necessário que diminuísse a quantidade de homens a caminho da batalha, e a ordem do Senhor foi para que os tímidos e medrosos voltassem e então vinte e dois mil homens voltaram e dez mil homens prosseguiram. E disse o Senhor mais uma vez a Gideão que o povo era muito e que mostraria a ele quem deveria prosseguir e quem não deveria ir com ele. E tendo mostrado o Senhor os que deveriam ir com Gideão somou-se trezentos homens apenas e o Senhor afirmou que com aqueles trezentos homens Ele livraria Israel e daria os midianitas nas mãos do povo.

Então, o Senhor ordenou que Gideão fosse com seus trezentos homens ao arrail pois daria os midianitas em suas mãos. E tendo Gideão descido para ver como estava, teve mais uma confirmação do Senhor da vitória.

Logo, Gideão dividiu os trezentos homens e deu-lhes a cada um buzinas e cântaros vazios, com tochas neles acesas e ordenou que fizessem assim como ele fizesse quando chegassem e então declarariam: Espada do Senhor, e de Gideão. E aconteceu que quando todos os trezentos tocaram as buzinas o Senhor tornou a espada de um contra o outro e todos os inimigos fugiram. Feriu também o exército de Zeba, Salmuna e os que habitavam nas tendas de Nobá e Jogbeá.

Gideão era o mais jovem da casa de seu pai e do clã mais fraco da tribo de Manasses, não possuía credenciais impressionantes para um líder. No entanto, obedeceu ao Senhor ao remover todos os ídolos da casa de seu pai. Apesar da sua insegurança, pois sempre queria sinais do Senhor, Gideão mostrou-se disposto a morrer pelo povo na batalha e conduziu o povo a vitória.

Que sejamos como Gideão, obedientes e valentes!

Deixe uma resposta