Insensatez de Coração

A bíblia é recheada de histórias lindas e incríveis, entretanto existe uma parábola do evangelho que aprecio muito: A parábola do filho pródigo.
Eu consigo nitidamente me ver naquela história. Algumas vezes, ocupo o lugar do filho mais moço, o insensato. Em outras, a postura do filho mais velho. Enfim, como em um retrato, me vejo nessa história!

Nesta história, Jesus narra o conflito pessoal de um jovem que repercutiu em um conflito familiar. Um senhor, que tinha dois filhos, certo dia foi surpreendido pelo filho mais novo que o pede a sua parte da herança ainda em vida. O pai, atendendo ao seu pedido, repartiu os bens entre os dois irmãos.
Alguns dias depois, o filho mais moço ajuntou suas tralhas e partiu para um país distante. Ali viveu uma vida cheia de pecado e desperdiçou tudo o que tinha herdado de seu pai. Quando o jovem começou a passar necessidades foi trabalhar em uma fazenda, tratando dos porcos. O que me chama atenção é que ao alimentá-los, sentia vontade de comer a comida dos suínos.
Lembrou-se então que os trabalhadores de seu pai certamente estariam em melhores condições que ele, o que o fez decidir voltar para a casa de seu pai… Ensaiou um discurso para dizer ao seu pai no momento do encontro, e partiu em retorno ao seu lar.
Ainda distante de casa, o seu pai já o tinha visto. Correu ao encontro do filho, o abraçou, e o beijou! O filho pródigo, insensato, rebelde… Encontrou braços para o abraçar. O jovem foi vestido com a melhor roupa, ganhou um anel em seu dedo e o calçou com sandálias.
Houve festa naquele lar, pois quem estava morto, viveu. Outrora ele estava perdido e foi achado… Hoje, ainda que esta história tenha sido narrada há muito anos, podemos aprender grandes lições com este jovem.
O rumo da nossa vida só é alterado quando existe o reconhecimento da forma errônea que temos caminhado. O filho mais moço não apenas reconheceu isso, mas mudou a sua rota! Ele voltou para o lar! Voltou para os braços do seu pai!
Deus estende os seus braços de amor a todo instante para nós! E às vezes, nos afastamos. Desperdiçamos todo o favor que Ele tem por nós, abraçamos coisas proibidas. Somos pobre e mesmo assim, somos rebeldes. Que esperança haveria para alguém como nós?
Quão agradável é saber que existem braços de Misericórdia e Graça estendidos em nossa direção. Chamando a mim, chamando a ti. Chamando por todos. Deus está disposto à vestir-nos com novas vestes, roupas limpas, purificadas pelo sangue do Cordeiro imaculado que se entregou por mim e por ti, como sacrifício vivo pelas nossas transgressões.

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (2 Coríntios 5:17)

 Ele quer colocar um anel em nosso dedo, fazer uma aliança conosco.

“Contudo eu me lembrarei da minha aliança, que fiz contigo nos dias da tua mocidade; e estabelecerei contigo uma aliança eterna.” (Ezequiel 16:60)

 E calçar-nos com sandálias. Dar-nos uma nova oportunidade de seguir o Caminho, viver na Verdade e ter a Vida, isso através de Jesus, o Cristo.

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6)

 Para isso, temos que ir ao seu encontro. Devemos atender ao seu chamado!

“Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” (Apocalipse 3:20)

 Que favor imerecido! Que possamos desembrulhar o presente da Graça! 

Deixe uma resposta