Depressão

Para a maioria das pessoas Páscoa é alegria. Mas para muita gente Páscoa é associada com solidão, isolamento, depressão. Para muita gente Páscoa é muito mais uma época que são obrigados a suportar, do que celebrar. Eu posso me identificar com isso. Na páscoa de 2008 eu tinha acabado de me mudar para Dublin, na Irlanda. Completamente sozinho. Como eu tinha acabado de arrumar um trabalho, eu tinha certeza que não havia chance alguma de eu pedir folga no dia de Páscoa. E como eu era o novato, todos os piores trabalhos ficaram para mim nesse dia. Lembro tão claramente, como se fosse hoje, das privadas sujas que tive que limpar daquela loja. Lembro também de mim subindo naquele latão de lixo e pulando em cima dos sacos de lixo para esmagá-los e fazer espaço para mais lixo. Eu ali pulando no lixo, e assistindo pessoas sorridentes chegando no prédio a frente para comemorar com seus amigos ou familiares. Quando eu saia da lata de lixo, meus sapatos e minha calça ficavam todos sujos de restos de comida e frutas. E o cheiro de comida podre preso na minha roupa me perseguia pelo resto do dia. Lembro de mim no fim do dia, cansado, fedendo, voltando para casa embaixo de chuva. Naqueles dias eu ainda não tinha arrumado lugar para ficar, e como no trabalho só te pagam depois de 1 mês também não tinha dinheiro algum. Então ainda estava num quarto dos fundos de uma suposta hostfamily que nem sabia meu nome e sua única obrigação era me servir o jantar. Naquela noite, enquanto a família celebrava em sua mesa farta, um prato de sopa me esperava em cima da cama no quarto dos fundos, tão pequeno que só cabia a cama e um estreito corredor entre a cama e a parede. Como eu cheguei depois das 8 da noite, já tinha passado do horário permitido (que estipularam para mim) de tomar banho. Eu até que tentei dormir, para afastar os pensamentos de tristeza. Mas o fedor não deixava. Eu lembro que naquela noite eu chorei amargamente. E foi assim, naquele dia de Páscoa, que passei um dos momentos mais tristes e depressivos da minha vida.

Talvez para você isso nem se compara com o que você esteja vivendo. Talvez você esteja numa situação muito pior. E talvez você esteja pensando agora: “Que ótimo, Régis! Você está tentando me animar ou o que?!”

Se existiu um homem na história da humanidade que podia estar completamente depressivo era Jesus. Uma vida dedicada aos outros. Não ter onde dormir. Uma incansável rotina de curas e milagres que resultavam em perseguição contra ele. Cada ato de amor era devolvido com ingratidão. Dos seus amigos mais próximos, nem um esteve com ele até o fim. Todo seu esforço, todos os sonhos e vontades que ele possa ter tido; todos os planos que ele possa ter sonhado como pessoa; tudo foi negligenciado e deixado para trás para servir os que estavam ao seu redor. Ele viveu 100% pelos outros. Pelas mesmas pessoas que o acusavam e o prometiam de morte. Ele sabia que seria traído e assassinado. Mas para cumprir a vontade do Pai, ele não podia fugir disso. Ele precisava deixar que isso acontecesse.

Quando lembro de momentos tristes de minha vida e ponho ao lado do que viveu Jesus, não consigo comparar. A minha tristeza fica, no mínimo, muito pequena. E mesmo passando por tudo isso ele não vivia reclamando e nem se remoendo pelos cantos. Ele continuava a encorajar pessoas, motivá-las e amá-las.

Como assim?! Como pode?
Um outro exemplo é Paulo. Mesmo na prisão escreveu uma carta de encorajamento para Timóteo. Na primeira carta a Timótio ele podia ter escrito “Timótio, estou definhando na prisão, numa cela escura, fétida e os ratos ficam mordendo meu calcanhar.”. Mas não foi o que escreveu. O que lemos é “A Timóteo meu verdadeiro filho na fé: Graça, misericórdia e paz da parte de Deus nosso Pai, e da de Cristo Jesus, nosso Senhor.” (I Tim. 1:2) ou “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.” (I Tim. 2:1-4) só para citar alguns! Mesmo estando em um péssimo momento, Paulo estava não intercedendo por si mesmo, mas orando por outras vidas. Encorajando-os.
Quem o consolava era Deus “E dou graças ao que me tem confortado, a Cristo Jesus Senhor nosso…” (I Tim. 1:12).

E como não citar Jó? Ou Jonas, Elias, Jeremias, José? Ou o salmista do Salmo 43? Ou inúmeros outros casos? Não somos os primeiros e nem os últimos a viver momentos de escuridão total. Mas a Bíblia nos diz inúmeras vezes que Deus é a consolação das nossas almas. Que Ele é a luz na escuridão. Que não devemos temer mal algum. Que Ele, o Todo-poderoso, é quem luta por nós.

O que te dizer para que você saia dessa depressão que te assola? Eu não sei! Tenho essa forte impressão de que depressão é, não uma doença, mas a ausência de Deus. Entrar em depressão talvez aconteça, mas ficar em depressão é uma decisão. É você quem decide continuar se alimentando de escuridão, ou buscar atividades, alimentação, companhias, leituras, música, etc, que te tragam luz! Paz! Esperança! Eu escolho a luz!
Cito ao menos alguns versos que possam te ajudar nesse momento:

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mt 11.28)

 “…portanto não vos entristeçais; porque a alegria do SENHOR é a vossa força.” (Ne 8:10)

“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele e ele tudo fará” (SI 37.5).

 Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” (Rom 8:18)

 “O choro pode durar uma noite; pela manhã, porém, vem o cântico de júbilo.” (Salmos 30:5)

 “Em paz também me deitarei e dormirei, porque só tu, SENHOR, me fazes habitar em segurança.” (Salmos 4:8) 

Deus abençoe, fique na Paz!

Deixe uma resposta