Crítica , quem gosta?

apontar o dedo

O ser humano é uma caixinha de surpresas. Personalidades, percepções , reações.
Muitos reagem de maneira adversa a uma situação, outros explodem, alguns se calam.

Mas algo muito incômodo é quando nos chamam a atenção, apontam algo que machuca, fere, ou mesmo ofende outras pessoas por algo que falamos ou reagimos. Isto se agrava quando não tivemos a intenção de ferir ou muito menos de chatear alguém, apenas estamos sendo o que sempre fomos reagindo da maneira que sempre reagimos. Ficamos ainda mais indignados quando achamos que estamos falamos as coisas certas das maneiras certas e mesmo assim, nos apontam um problema, e acabam chateando pessoas. Isso dá lugar a ira, ou a amargura.

Lidar bem com as emoções humanas, e as reações, diante de diversas situações, é a chave para um bom relacionamento como todos ao nosso redor. Seja no trabalho, com nossos pais, com namorados ou cônjuge, filhos ou na igreja, no nosso ministério.

O fato é que se não estivermos abertos a aceitarmos e ponderarmos as opiniões, em breve estaremos isolados, ou cercado de pessoas com relacionamentos superficiais, que apenas querem usar as pessoas.

Quando somos exortados pela Palavra de Deus, e o Espírito Santo nos conduz ao pensamento de que há algo errado, sim nós precisamos transformar na nossa forma de agir e pensar. Muitas vezes transferimos este apontamento, e o interpretamos como uma acusação, e como nossa consciência está cauterizada , acostumada a saber que Deus não nos acusa, e então  ignoramos a “acusação” e atribuímos a Satanás ou a nossa própria personalidade que  temos a convicção que é impossível de ser alterada. Voltamos a estaca zero. Simplesmente vamos sofrendo e mantendo a “síndrome de Gabriela”,  em nossas vidas e pensando “nasci assim, cresci assim, vou morrer assim”, como consequência vamos  nos afastando da profundidade dos relacionamentos, e da profundidade da Palavra de Deus, e principalmente, da profundidade em um relacionamento sincero com o nosso Senhor Jesus.

Hoje, quantas pessoas não se perderam em sua jornada e estão caminhando em círculos dentro das nossas igrejas e ministérios sem ouvir a voz do Senhor e achando que nada muda , que a igreja é irrelevante, desnecessária, ministérios são irrelevantes, pessoas são chatas e irrelevantes, que tudo está do mesmo jeito e não há solução para isso. Se pegam julgando que pessoas, pastores, igreja, ministério são os problemas, e na verdade, o problema está dentro de nós.

“Exortamos vocês, irmãos, a que advirtam os ociosos, confortem os desanimados, auxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos. Tenham cuidado para que ninguém retribua o mal com o mal, mas sejam sempre bondosos uns para com os outros e para com todos. Alegrem-se sempre. Orem continuamente. Deem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus. Não apaguem o Espírito. Não tratem com desprezo as profecias, mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom. Afastem-se de toda forma de mal. ” 1 Tessalonicenses 5:14-22 (NVI)

Não podemos permitir que nossas reações apaguem o espírito em nós, que fiquemos isolados com relacionamentos superficiais com as pessoas e com Deus.

Permita que o Senhor te confronte, que ele te transforme, dê ouvido às pessoas que são usadas por Deus, abra o teu coração, se rasgue diante do Senhor e permita que Ele te transforme. Seja desafiado e se renda à Palavra de Deus diariamente, permita que o Senhor te use como agente de mudança, como catalizador, aquele que acelera a reação, se transforme em quem é canal de bençãos para o Senhor.

Caso isso não aconteça o fim será trágico.

Pessoas se afastarão, apontarão você como “persona non grata”, e pior, cauterizados pelos próprios pensamentos, impermeável ao que Deus realmente quer fazer . Só poderemos esperar a morte, solidão e remorso depois disso.

Que Deus nos ajude.

Deixe uma resposta