O tempo em mim

Constantemente me pegava – tentando – mensurar o tempo que cabe em cada coisa – e isso é, no mínimo, bem estranho. Para mim, era necessário saber quanto tempo eu havia investido em minhas relações pessoais e profissionais, ou então, há quanto tempo frequentava determinados ambientes, enfim, percebia que em todas as coisas o meu tempo ficava impresso, marcado. Eu sentia o tempo em mim, ao passo que este se esvaia.

Até qimagesue… Os “Até Quês” são dádivas que recebemos do nosso Criador. São momentos e experiências que nos permitem atribuir novos significados para vivências antigas. São vírgulas no grande texto intitulado como: VIDA. Em uma dessas experiências, a vida me direcionou a entender que, na maioria das vezes, não se trata do tempo que passou… Em nós, existem alianças infinitas, ou seja, não faz sentido manter o foco no tempo que foi empregado para tais alianças se estabelecerem, mas perceber que, por todo o tempo futuro estas alianças ainda serão mantidas vivas… É um constante vir a ser!

Penso que a principal Aliança Infinita que existe em nós é a que fizemos com Jesus Cristo, e não se trata de mensurar o tempo que passou, mas é sobre tudo o que está por vir. Em Deus há coisas novas reservadas para cada um que se mantém nEle.

“…Uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante.” (Filipenses 3:13)

Que possamos olhar para o futuro como uma grande dádiva de Deus para conosco, e assim, vivermos de forma a glorificar a Aliança que temos com Ele, pois esta é Infinita.

Que Deus nos ajude!

Uma feliz semana.

Deixe uma resposta