Vaidade de vaidades.

Pois bem, ainda estamos dialogando sobre alguns modismos existentes na sociedade contemporânea, e para mim, o modismo, de alguma maneira, se relaciona com a vaidade. Um modismo se configura pela frequência em que aparece, sendo assim, pode ser uma prática, um trejeito… Enfim, muitas coisas podem se encaixar aqui.Código de Barras

Pode ser um modismo me importar com os pobres e oprimidos, ou então, considerar e aceitar as liberdades individuais que o meu próximo possui… Abraçar um partido político e repudiar outros, ou então lutar com afinco por transformações culturais, políticas, sociais… Essas coisas podem ser apenas moda!

Pode, muito bem, uma mulher não usar maquiagem, não pintar suas unhas e nem andar com salto alto, ter essas atitudes por um modismo para com o movimento feminista. Também a crença de uma pessoa na família nuclear, o casamento heterossexual e monogâmico como correto, o anseio por adquirir um imóvel próprio e fazer dele um lar com cachorros, três filhos e uma horta nos fundos… Todas essas coisas podem ser apenas mais alguns exemplos de modismos contemporâneos.

As idas aos cultos dominicais, a fé que é sem obras, o servir sem sentido… Não são diferentes, podendo vir a serem exemplos de práticas tomadas porque foram entendidas como sendo moda, apenas! Não se introjeta o verdadeiro significado do que se faz.

Penso que viver a moda, é, muitas vezes, ser levado pelos muitos ventos que sopram para onde querem. As atitudes das pessoas tornam-se sem particularidades, sem as características pessoais, pois se faz o que convém para ser aprovado pelo outro. Isso é vaidade também!

Cada um deve buscar o que de fato o faz sentir-se vivo, cada um da sua maneira! Viva sem medo, mas com temor a Deus. Troque os pesados fardos por prudência! Muitas vezes deve-se ter ousadia para tentar algo novo, fora da moda. Para além da multidão que o cerca – só você sabe o que, de fato, precisa!

Busque a Deus com intensidade! Descubra o que Deus sonha com você e viva isso de propósito!

Uma feliz semana!

Deixe uma resposta